Translate...

Sobre você...

Sign by Danasoft - Get Your Free Sign

Chute o Lula

segunda-feira, 4 de agosto de 2008

No llore por mí, Aerolíneas...

Qual será o dia que a Argentina não se sentirá traída ou abandonada pelo Brasil?
Os nossos vizinhos são de fato um parceiro importante no contexto do Mercosul... Mas só isso.
O bloco Sul-Americano vai ficando cada vez menos significativo no cenário mundial por conta destas picuinhas regionais...
A Argentina perdeu faz tempo, importância econômica no cenário mundial... Acreditem, já foi um dos paises mais ricos do planeta e hoje são especialistas em por a culpa de tudo que dá errado lá, ou no Brasil ou no resto do mundo... Sofrem de uma melancolia que parece não ter cura, e por saudade de um tempo em que não viveram, teimam em atribuir aos vizinhos seus insucessos, como se nós fossemos os inventores de Perón e Evita... Que me perdoem meus amigos Portenhos, que não são poucos... Nem todo Argentino é chato, mas todo chato é Argentino!
Que sirva como exemplo o processo de privatização das Aerolíneas Argentinas, tido na época como algo revolucionário no continente, que se mostrou nos últimos dias como um fiasco sem precedentes na história das privatizações e que tinha fins meramente eleitoreiros, calcados em um processo de privatização mal feito... O Brasil inteiro bateu palmas para aquela bobagem amadoresca, e agora deu no que deu... Quase Um bilhão de dólares de prejuízo!... Quem se acostumou viver sob às asas do populismo, certamente encontrará dificuldades para se inserir num mundo cada vez mais competitivo, e aí lamento, mas todo castigo para trouxa é pouco!

2 comentários:

Anderson Eduardo disse...

BOa noite, fico agradecido por suas palavras e sua gentil visita. Conheço sim. A Argentina foi uma grande potencia, mas é preciso pensar no futuro, nao de 4 em 4 anos como aqui no Brasil... Abração e boa semana pra ti

Vivian disse...

...quando li "Águas cotidianas", e me deparei com a imagem do template com esta linda moça de olhos cor de céu, não imaginei que os assuntos fossem tão realistas, doídos até...mas depois já fui me acostumando e me senti numa redação de jornal onde podemos fazer uma leitura dinâmica da vida que explode na nosso cara, quer queiramos ou não...parabéns pela página...inté mais, ce ocê me dexá vortá...abços