Translate...

Sobre você...

Sign by Danasoft - Get Your Free Sign

Chute o Lula

domingo, 28 de dezembro de 2008

O Brasil que todos sonhamos...



Discurso proferido pelo Professor Weber Figueiredo paraninfo da turma de formandos em Engenharia da UERJ (Universidade do Estado do Rio de Janeiro) em 13 de agosto de 2002.
Ilustríssimos Colegas da Mesa, Senhor Presidente, meus queridos Alunos, Senhoras e Senhores.
Para mim é um privilégio ter sido escolhido paraninfo desta turma.
Esta é como se fora a última aula do curso. O último encontro, que já deixa saudades. Um momento festivo, mas também de reflexão.
Se eu fosse escolhido paraninfo de uma turma de direito, talvez eu falasse da importância do advogado que defende a justiça e não apenas o réu. Se eu fosse escolhido paraninfo de uma turma de medicina, talvez eu falasse da importância do médico que coloca o amor ao próximo acima dos seus lucros profissionais. Mas, como sou paraninfo de uma turma de engenheiros, vou falar da importância do engenheiro para o desenvolvimento do Brasil.
Para começar, vamos falar de bananas e do doce de banana, que eu vou chamar de bananada especial, inventada (ou projetada) pela nossa vovozinha lá em casa, depois que várias receitas prontas não deram certo. É isso mesmo. Para entendermos a importância do engenheiro vamos falar de bananas, bananadas e vovó.
A banana é um recurso natural que não sofreu nenhuma transformação. A bananada é igual à banana mais outros ingredientes mais a energia térmica fornecida pelo fogão mais o trabalho da vovó e mais o conhecimento, ou tecnologia da vovó. A bananada é um produto pronto que eu vou chamar de riqueza. E a vovó? Bem a vovó é a dona do conhecimento, uma espécie de engenheira da culinária.
Agora, vamos supor que a banana e a bananada sejam vendidas. Um quilo de banana custa um real. Já um quilo da bananada custa cinco reais.
Por que essa diferença de preços? Porque quando nós colhemos um cacho de bananas na bananeira, criamos apenas um emprego: o de colhedor de bananas. Agora, quando a vovó, ou a indústria, faz a bananada, ela cria empregos na indústria do açúcar, da cana-de-açúcar, do gás de cozinha, na indústria de fogões, de panelas, de colheres e até na de embalagens, porque tudo isto é necessário para se fabricar à bananada.
Resumindo, 1 quilo de bananada é mais caro do que 1 quilo de banana porque a bananada é igual à banana mais tecnologia agregada, e a sua fabricação criou mais empregos do que simplesmente colher o cacho de bananas da bananeira.
Agora vamos falar de outro exemplo que acontece no dia-a-dia no comércio mundial de mercadorias. Em média: 1 quilo de soja custa dez centavos de dólar, 1 quilo de automóvel custa dez dólares, isto é, cem vezes mais, 1 quilo de aparelho eletrônico custa cem dólares, 1 quilo de avião custa mil dólares, ou seja, dez mil quilos de soja, e 1 quilo de satélite custa cinqüenta mil dólares. Vejam quanto mais tecnologia agregada tem um produto, maior é o seu preço, mais empregos foram gerados na sua fabricação. Os países ricos sabem disso muito bem.
Eles investem na pesquisa científica e tecnológica. Por exemplo: eles nos vendem uma placa de computador que pesa cem gramas por 250 dólares. Para pagarmos esta plaquinha eletrônica, o Brasil precisa exportar 20 toneladas de minério de ferro. A fabricação de placas de computador criou milhares de bons empregos lá no estrangeiro, enquanto que a extração do minério de ferro cria pouquíssimos e péssimos empregos aqui no Brasil.
O Japão é pobre em recursos naturais, mas é um país rico. O Brasil é
rico em energia e recursos naturais, mas é um país pobre. Os países
ricos são ricos materialmente porque eles produzem riquezas. Riqueza vem de rico. Pobreza vem de pobre. País pobre é aquele que não consegue produzir riquezas para o seu povo. Se conseguisse, não seria pobre, seria país rico.
Gostaria de deixar bem claro três coisas:
1) quando me refiro à palavra riqueza, não estou me referindo a jóias nem a supérfluos. Estou me referindo àqueles bens necessários para que o ser humano viva com um mínimo de dignidade e conforto;
2) não estou defendendo o consumismo materialista como uma forma de vida, muito pelo contrário; e
3) acho abominável àqueles que colocam os valores das riquezas materiais acima dos valores da riqueza interior do ser humano. Existem nações que são ricas, mas que agem de forma extremamente pobre e desumana em relação a outros povos.

Creio que agora posso falar do ponto principal. Para que o nosso Brasil torne- se um País rico, com o seu povo vivendo com dignidade, temos que produzir mais riquezas. Para tal, precisamos de conhecimento, ou tecnologia, já que temos abundância de recursos naturais e energia. E quem desenvolve tecnologias são os cientistas e os engenheiros, como estes jovens que estão se formando hoje.
Infelizmente, o Brasil é muito dependente da tecnologia externa.
Quando fabricamos bens com alta tecnologia, fazemos apenas a parte final da produção. Por exemplo: o Brasil produz 5 milhões de televisores por ano e nenhum brasileiro projeta televisor. O miolo da TV, do telefone celular e de todos os aparelhos eletrônicos, é todo importado. Somos meros montadores de kits eletrônicos.
Casos semelhantes também acontecem na indústria mecânica, de remédios e, incrível, até na de alimentos. O Brasil entra com a mão-de-obra barata e os recursos naturais. Os projetos, a tecnologia, o chamado pulo do gato, ficam no estrangeiro, com os verdadeiros donos do negócio. Resta ao Brasil lidar com as chamadas caixas pretas. É importante compreendermos que os donos dos projetos tecnológicos são os donos das decisões econômicas, são os donos do dinheiro, são os donos das riquezas do mundo. Assim como as águas dos rio correm para o mar, as riquezas do mundo correm em direção ao países detentores das tecnologias avançadas.
A dependência científica e tecnológica acarretou para nós brasileiros a dependência econômica, política e cultural. Não podemos admitir a continuação da situação esdrúxula, onde 70% do PIB brasileiro é controlado por não residentes. Ninguém pode progredir entregando o seu talão de cheques e a chave de sua casa para o vizinho fazer o que bem entender. Eu tenho a convicção que desenvolvimento científico e tecnológico aqui no Brasil garantirá aos brasileiros a soberania das decisões econômicas, políticas e culturais. Garantirá trocas mais justas no comércio exterior. Garantirá a criação de mais e melhores empregos. E, se toda a produção de riquezas for bem distribuída, teremos a erradicação dos graves problemas sociais.
O curso de engenharia da UERJ, com todas as suas possíveis deficiências, visa a formar engenheiros capazes de desenvolver tecnologias. É o chamado engenheiro de concepção, ou engenheiro de projetos. Infelizmente, o mercado desnacionalizado nem sempre aproveita todo este potencial científico dos nossos engenheiros. Nós, professores, não podemos nos curvar às deformações do mercado. Temos que continuar formando engenheiros com conhecimentos iguais aos melhores do mundo. Eu posso garantir a todos os presentes, principalmente aos pais, que qualquer um destes formandos é tão ou mais inteligente do que qualquer engenheiro americano, japonês ou alemão. Os meus trinta anos de magistério, lecionando desde o antigo ginásio até a universidade, me dão autoridade para afirmar que o brasileiro não é inferior a ninguém, pelo contrário, dizem até que somos muito mais criativos do que os habitantes do chamado primeiro mundo.
O que me revolta, como professor e cidadão, é ver que as decisões políticas tomadas por pessoas despreparadas ou corruptas são responsáveis pela queima e destruição de inteligências brasileiras que poderiam, com o conhecimento apropriado, transformar o nosso Brasil num país florescente, próspero e socialmente justo. Acredito que o mundo ideal seja aquele totalmente globalizado, mas uma globalização que inclua a democratização das decisões e a distribuição justa do trabalho e das riquezas. Infelizmente, isto ainda está longe de acontecer, até por limitações físicas da própria natureza. Assim, quem pensa que a solução par a os nossos problemas virá lá de fora, está muito enganado. O dia em que um presidente da república, ao invés de ficar passeando como um dândi pelos palácios do primeiro mundo, resolver liderar um autêntico projeto de desenvolvimento nacional, certamente o Brasil vai precisar, em todas as áreas, de pessoas bem preparadas. Só assim seremos capazes de caminhar com autonomia e tomar decisões que beneficiem verdadeiramente a sociedade brasileira. Será a construção de um Brasil realmente moderno, mais justo, inserido de forma soberana na economia mundial e não como um reles fornecedor de recursos naturais e mão-de-obra aviltada.
Quando isto ocorrer, e eu espero que seja em breve, o nosso País poderá aproveitar de forma muito mais eficaz a inteligência e o preparo intelectual dos brasileiros e, em particular, de todos vocês, meus queridos alunos, porque vocês já foram testados e aprovados.
Finalmente, gostaria de parabenizar a todos os pais pela contribuição positiva que deram a nossa sociedade possibilitando a formação dos seus filhos no curso de engenharia da UERJ. A alegria dos senhores, também é a nossa alegria.

Muito Obrigado.
Colaboração de Percy Vieira.

quinta-feira, 25 de dezembro de 2008

Oportunidade de emprego: Salário?... Até R$ 100 mil por mês!


O Ministério Público Federal (MPF) no Rio de Janeiro entrou com ação para anular um concurso para a vaga de Prático, com remuneração em torno de R$ 100 mil por mês. Segundo o MPF, a medida cautelar foi notificada no Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF-2) para que seja determinado o cumprimento de decisão judicial da 4ª Vara Federal que determina a suspensão do concurso, realizado pela Diretoria de Portos e Costas (DPC) da Marinha do Brasil.
De acordo com a ação civil pública, foram diversas as irregularidades apuradas no último concurso que, apesar de não ser destinado ao provimento de cargos ou empregos públicos, deve seguir as normas previstas para todo concurso público, como a impessoalidade, o sigilo do caderno de questões, a publicidade, entre outros. O Prático é um profissional que assessora os comandantes de navios nacionais e estrangeiros em águas restritas, com conhecimentos técnicos de acidentes geográficos, correntezas, ventos, sendo o responsável pelas embarcações nas manobras realizadas em portos brasileiros. Trata-se do exercício de uma função pública, e não de um emprego ou cargo público.
Entre as irregularidades encontradas estão ausência de dez cadernos de questões em uma das salas na primeira fase, coincidindo com o número exato de candidatos faltantes naquela sala; um caderno de questões encontrado em um sanitário feminino durante a realização do concurso, fato ocultado pelos organizadores; a não identificação dos candidatos nos referidos cadernos; a possibilidade de violação do lacre nos envelopes que continham as provas; a ilegalidade na exigência de taxa para o candidato recorrer de questões que ele considerasse incorretas; a não apresentação dos motivos e justificativas para a anulação de cinco questões e alterações de outras duas no gabarito definitivo, após o exame dos recursos impetrados pelos candidatos, o que modificou o resultado do processo seletivo, ensejando uma série de mandados de segurança na Justiça Federal.
Esse concurso é uma grande besteira, já que se sabe que prático é uma função passada de pai pra filho e prático não ganha fixo... Os práticos mais requisitados são particulares e ganham por "estacionada"... Eles podem receber por mes entre 70 a 150 mil.
Aliás, Prático como o próprio nome diz, exige anos de "prática", e o profissional tem que conhecer correntes, bancos fixos e móveis e tem ter habilidade pra entrar num canal mesmo com calado mínimo.
Mas que isso está cheirando mal, está.

Fonte: SOLANGE SPIGLIATTI - Agencia Estado.

sexta-feira, 19 de dezembro de 2008

'Surto' de bom senso na câmara dos deputados...


A Câmara dos Deputados botou água no chope dos suplentes de vereador que já faziam festa para comemorar a criação de mais 7.343 cadeiras nas câmaras municipais de todo o Brasil. A mesa diretora do legislativo decidiu que não vai encampar o inchaço porque o projeto original, aprovado em maio pelos deputados federais, foi desfigurado pelo Senado. O problema está no fato de os senadores terem retirado do texto original a parte que reduzia os gastos com vereadores de R$ 6 bilhões para R$ 4,5 bilhões anuais. Eles empurraram com a barriga o quesito despesa, aprovando só o aumento no total de vereadores. Como decisões desse tipo, que implicam mudanças na Constituição, precisam ser promulgadas pelas mesas das duas casas legislativas, o recuo da Câmara surge como um rasgo de bom senso frente a uma medida polêmica e desnecessária. E que, além disso, por ser omissa no aspecto gastos, poderia gerar despesa extra, indo na contramão de um momento de crise que exige o máximo de cuidado com os gastos públicos.
Agora, face ao recuo estratégico da diretoria da Câmara, o aumento no número de vereadores terá que ser revisado pelos deputados federais, o que só acontecerá em 2009. Se aprovado, valerá apenas para as próximas eleições municipais, acabando com outro ponto polêmico da matéria, já que os atuais suplentes queriam tomar posse imediatamente. Cabe lembrar que, no Rio Grande do Sul, a proposta aprovada pelo Senado aumentaria o número de vagas nas câmaras de 119 cidades.
Fonte: clicrbs.com.br/blogs

quinta-feira, 18 de dezembro de 2008

Apreendidos somos nós...


Doze anos de idade... Nove passagens pela polícia como ladrão de carros... O moleque é o bicho!... Sementinha germinada do mal... Mas falar desta nova passagem do delinqüente juvenil por uma delegacia de polícia pouco importa, bem como pouco importa o nome dele, da mãe, do pai e de quem quer que seja que esteja ligado a ele.
Ele é só mais um entre milhares de jovens em situação de risco neste triste país. Temperamento violento, corpo franzino e uma fé cega na impunidade institucionalizada... Afinal, ele coitado, é ‘menor’... A família falhou na educação deste indivíduo, e isso é claro... Mas falha mais grave cometeu o poder público ao não ser minimamente capaz de identificar e adotar medidas enérgicas após a segunda, terceira, oitava passagem do delinqüente pela polícia, ou mesmo muito antes disso... Onde andava nas diversas ocasiões o Conselho Tutelar?... Onde andavam os membros do Juizado de Menores?... E o Estatuto da Criança e do Adolescente?... Ninguém sabe, ninguém viu!... Será que nem mesmo num caso evidentemente grave, e que dava sinais inequívocos de que ali estava uma criança problemática, o poder público foi capaz de agir preventivamente?... O que esperam?... Que ele mate alguém?
Fico me perguntando se ele, menor e delinqüente, é realmente meu único inimigo... Não senhores, não é!... Meu verdadeiro inimigo é o estado brasileiro.
O mesmo Estado que me faz sentir na mendicância ao exigir meus direitos fundamentais, tais como saúde, educação, saneamento, transporte, segurança, e que me cobra uma vultosa indecência por isso.
Enquanto isso, nossos legisladores preocupam-se em criar leis cada vez mais politicamente corretas, repletas de neologismos e ineficácia, onde um menor infrator não é mais sequer ‘preso’... É ‘apreendido’ e obrigado a cumprir às tais medidas ‘sócio-educativas’ em uma escola de criminosos... Esse é o estado brasileiro, que cremos, deveria proteger-nos, mas que de fato é nosso verdadeiro inimigo.
Enquanto isso, fruto de uma família desestruturada e políticas públicas falidas, o caos está nas ruas, e parece que os ‘apreendidos’ somos nós.

quarta-feira, 17 de dezembro de 2008

Nova eleição em Guapimirim...


Reproduzo a notícia publicada no blog do Sidney Rezende:
- Por maioria de votos, o Plenário do TRE-RJ indeferiu o registro de candidatura do prefeito eleito de Guapimirim, Renato Costa Mello Junior, o Junior do Posto (PTC). A decisão anula os 13.735 votos obtidos pelo candidato em cinco de outubro, o equivalente a 74,14% dos votos válidos. Assim, uma nova eleição para a Prefeitura do município vai ser marcada e, pela legislação, o TRE-RJ tem até o 24 de janeiro para definir a data do novo pleito.
Quatro magistrados do TRE-RJ entenderam que a eleição em Guapimirim perderá legitimidade porque Junior do Posto havia requerido a substituição do tio, Nelson do Posto (PTC) às 18h31min do dia 4 de outubro, ou seja, a menos de 14 horas do início da votação. Com isso, não teria havido tempo hábil para informar à população da renúncia da candidatura de Nelson do Posto a prefeito e da conseqüente substituição por Junior do Posto, que era o vice na chapa.
O registro de Nelson do Posto havia sido cassado no TRE-RJ em 1º de setembro, por ele estar incluído na listagem do Tribunal de Contas da União dos gestores com contas julgadas irregulares. O candidato recorreu ao Tribunal Superior Eleitoral, mas a cassação do registro foi confirmada em três de outubro. Os magistrados do TRE-RJ entenderam que, ao recorrer da decisão, Nelson do Posto teria que prever a possibilidade de perder o prazo de substituição, pois o artigo 43 da Resolução TSE 22.717, diz que o recurso ocorre "por conta e risco" do candidato. -
Em tempo:
Guapimirim, que já havia virado uma espécie de ‘feudo eleitoral’ da família ‘Do Posto’, corro o risco agora de virar terra de ninguém com a nova eleição a ser marcada até 24 de janeiro de 2009... O festival de baixarias que tomou conta da cidade nas eleições anuladas pelo TRE-RJ, corre o risco de se repetir, tornando o clima na cidade ainda mais tenso... De todo modo, foi o fim de uma fraude escandalosa que induziu o eleitor ao erro... Os carros de som usados na campanha do candidato Nelson do Posto, embora tivessem tempo hábil, não informaram ao eleitor da mudança ocorrida, fato que a lisura exigia... O fato é que o grande beneficiado nessa bagunça toda deverá ser Sebastião Medeiros, candidato do PT... Quanto a Ailton Vivas, que descanse em paz.
Veja o site do TER-RJ em: http://www.tre-rj.gov.br/noticias/menu.htm

sábado, 13 de dezembro de 2008

Coração de Advogado...


Certa tarde, um bem sucedido advogado estava sendo conduzido em sua limusine para seu sítio quando observou dois homens maltrapilhos comendo grama ao lado da estrada.
Ele ordenou imediatamente ao motorista que parasse, saiu do veículo e perguntou:
- Por que vocês estão comendo grama?
- Porque nós não temos dinheiro para comprar comida respondeu um dos homens.
- Bem, você pode vir comigo para o sítio - disse o advogado.
- Senhor, eu tenho uma esposa e três filhos aqui.
- Traga-os também - replicou o advogado.
- E quanto ao meu amigo?
O advogado virou-se para o outro homem e disse:
- Você pode vir também.
- Mas, senhor, eu também tenho esposa e seis filhos - disse o segundo homem.
- Eles podem nos acompanhar também - disse o advogado enquanto se dirigia de volta à limusine.
Todos se acomodaram como puderam na limusine e, quando já estavam a caminho, um dos acompanhantes disse:
- O senhor é muito gentil. Obrigado por levar a gente com o senhor.
O advogado respondeu:
- De nada... Vocês vão adorar meu sítio.
A grama está com quase um metro de altura.

Colaboração: Ednei Barra da Silva.

quinta-feira, 11 de dezembro de 2008

Meu querido índio...


Não adianta espernear... Tecnicamente o Supremo já teria atestado a constitucionalidade do projeto do governo que cria a reserva Raposa Serra do Sol, e cria brasileiros de segunda classe, já que “não índios” sequer poderão cruzar o território demarcado, sem autorização dos mesmos... Mas como já está decidido se o ministro Marco Aurélio Mello pediu vistas do processo?... Simples... Os ministros que já tinham o seu voto decidido resolveram declarar seu voto, portanto, já havia até o meio desta tarde, seis votos favoráveis a demarcação contínua das terras... Como são onze ministros, se nada mudar, essa pilhéria fundiária deve se concretizar, a não ser que após o parecer de Marco Aurélio, alguém mude o voto... Tem muita gente que crê que os “indiozinhos”, coitados, só querem o que lhes pertence por direito... Isso nem de longe é verdade!... O que está por oculto nesse suposto ato de justiça, é o interesse de um incontável número de ONG´S na riqueza do subsolo daquela região... A cobiça nas terras amazônicas não é novidade, e eu mesmo tive oportunidade de constatar isso quando vivi em Manaus no fim dos anos 70... Esse índio romântico e ingênuo que a sociedade defende, não existe há muito tempo.
O problema é que antes, quem os explorava eram brasileiros, e de tempos para cá, os estrangeiros passaram a ocupar este papel, movidos pela cobiça e escudados na força do Dólar e do Euro... Nem adianta falar das inúmeras decisões que só estão aguardando este parecer... Essa coisa de demarcar terras imensas, de modo continuo, vai fazer com que, em certos locais, os índios sejam recebidos a chumbo e pólvora, e não adianta reclamar... Tem cheiro de sangue no ar.
Não tem porque dezenove mil indiozinhos ocuparem uma área de um milhão e novecentos mil hectares, maior que muitos países da Europa... Esses indiozinhos podem circular por qualquer lugar do território nacional e se estabelecer em qualquer região sem restrições, mas qualquer outro brasileiro, para entrar nas áreas demarcadas, depende de autorização deles... Esse gentio, historicamente manipulável, está servindo a interesses que nada tem em comum com os interesses nacionais... Se cometemos erros ancestrais com esse povo, que se corrija então, mas não fracionando o país de forma irresponsável.
Índio tem todo direito de ter sua terrinha para caçar, pescar, plantar uma mandioquinha e encher a cara de pinga, e como incapazes que são, cabe a nós impedir alianças espúrias que fragmentem o país.
Pedir que esse governo seja sensato, de pouco ou nada adianta.

terça-feira, 9 de dezembro de 2008

A verdadeira história do tráfico no Rio...


Não adianta colocar somente na conta dos pobres!
Sylvio Guedes, editor-chefe do Jornal de Brasília, critica o 'cinismo' dos jornalistas, artistas e intelectuais ao defenderem o fim do poder paralelo dos chefes do tráfico de drogas.
Guedes desafia a todos que 'tanto se drogaram nas últimas décadas que venham a público assumir: eu ajudei a destruir o Rio de Janeiro'. Leia o artigo na íntegra:
'Eles ajudaram a destruir o Rio'.
É irônico que a classe artística e a categoria dos jornalistas estejam agora na, por assim dizer, vanguarda da atual campanha contra a violência enfrentada pelo Rio de Janeiro.
Essa postura é produto do absoluto cinismo de muitas das pessoas e instituições que vemos participando de atos, fazendo declarações e defendendo o fim do poder paralelo dos chefões do tráfico de drogas.
Quando a cocaína começou a se infiltrar de fato no Rio de Janeiro, lá pelo fim da década de 70, entrou pela porta da frente.
Pela classe média, pelas festinhas de embalo da Zona Sul, pelas danceterias, pelos barzinhos de Ipanema e Leblon.
Invadiu e se instalou nas redações de jornais e nas emissoras de TV, sob o silêncio comprometedor de suas chefias e diretorias..
Quanto mais glamuroso o ambiente, quanto mais supostamente intelectualizado o grupo, mais você podia encontrar gente cheirando carreiras e carreiras do pó branco.
Em uma espúria relação de cumplicidade, imprensa e classe artística (que tanto se orgulham de serem, ambas, formadoras de opinião) de fato contribuíram enormemente para que o consumo das drogas, em especial da cocaína, se disseminasse no seio da sociedade carioca - e brasileira - por extensão.
Achavam o máximo; era, como se costumava dizer, um barato.
Festa sem cocaína era festa careta.
As pessoas curtiam a comodidade proporcionada pelos fornecedores: entregavam a droga em casa, sem a necessidade de inconvenientes viagens ao decaído mundo dos morros, vizinhos aos edifícios ricos do asfalto.
Nem é preciso detalhar como essa simples relação econômica de mercado terminou.
Onde há demanda, deve haver a necessária oferta.
E assim, com tanta gente endinheirada disposta a cheirar ou injetar sua dose diária de cocaína, os pés-de-chinelo das favelas viraram barões das drogas.
Há farta literatura mostrando como as conexões dos meliantes rastacuera, que só fumavam um baseado aqui e acolá, se tornaram senhores de um império, tomaram de assalto a mais linda cidade do país e agora cortam cabeças de quem ousa-lhes cruzar o caminho e as exibem em bandejas, certos da impunidade.
Qualquer mentecapto sabe que não pode persistir um sistema jurídico em que é proibida e reprimida a produção e venda da droga, porém seu consumo é digamos assim, tolerado.
Que a mídia, os artistas e os intelectuais que tanto se drogaram nas três últimas décadas venham a público assumir:

'Eu ajudei a destruir o Rio de Janeiro.'

Façam um adesivo e preguem no vidro de seus Audis, BMWs e Mercedes.'

Fonte: Jornal de Brasília.

Obrigado Vivian, por sua inestimável colaboração.

Festa de encerramento da temporada 2008...

Para quem gosta de automobilismo:

Contamos com você lá!

sábado, 6 de dezembro de 2008

DELCÍDIO REJEITA TÚNEL ENTRE CONGRESSO E PLANALTO...



O delírio visionário de Juscelino Kubitschek ao sonhar construir a nova capital do Brasil no planalto central, levado a termo por Lúcio Costa e Oscar Niemeyer resultou no monstrengo que temos lá hoje... Para que serve Brasília?... Não sei, sinceramente não sei... Transformou-se na capital nacional da burocracia, custa caríssimo ao contribuinte e com efeitos práticos que não justificam tamanha estrutura... Mas uma coisa temos que admitir: Por ser um mosaico do que nós brasileiros somos, os políticos lá instalados são capazes de pérolas como essas:
Alguns deputados querem construir um túnel ligando o Congresso ao Palácio do Planalto... O tal túnel teria 25 metros de extensão!... Isso mesmo!... Você não leu errado não!... Não são 250 metros!... É menos do que mede lateralmente a maioria dos lotes padrão nas cidades brasileiras, em média medindo 12 m. x 30m... O ’mimo’ custaria à bagatela de cerca de R$ 3 milhões de reais aos cofres públicos... Tudo por conta, segundo dados, do crescente aumento no número de atropelamentos na travessia da via que liga as duas casas... Mas vem cá: Será que eles não podem resolver o problema com instalação de semáforos, lombadas eletrônicas, ou mesmo os famigerados ‘pardais’ que infestam às demais cidades brasileiras?... Delcídio Amaral recomenda menos preguiça aos defensores da proposta de construir o túnel... O presidente da Câmara, Arlindo Chinaglia, diz: “não acho que tenha problemas demais. Cabe à Mesa Diretora do Senado analisar”. Delcídio Amaral condena: “o Palácio está aqui pertinho e faz bem à saúde”, ainda mais que como se sabe, a maioria dos deputados e senadores quando vai ao Planalto, vai de carro oficial... O que falta ao congresso, mais que um túnel, é vergonha na cara!

FRASES DE LULA (verídicas), PARA RIR... OU CHORAR...



"Eu gostaria de ter estudado latim, assim eu poderia me comunicar melhor com o povo da América Latina"
Luiz Inácio Lula da Silva.

"A grande maioria de nossas importações vem de fora do país."
Luiz Inácio Lula da Silva.

"Se não tivermos sucesso, corremos o risco de fracassarmos."
Luiz Inácio Lula da Silva.

"O Holocausto foi um período obsceno na História da nossa nação. Quero dizer, na História deste século. Mas todos vivemos neste século. Eu não vivi nesse século."
Luiz Inácio Lula da Silva.

"Uma palavra resume provavelmente a responsabilidade de qualquer
governante. E essa palavra é "estar preparado".
Luiz Inácio Lula da Silva.

"O futuro será melhor amanhã."
Luiz Inácio Lula da Silva.

"Eu mantenho todas as declarações erradas que fiz."
Luiz Inácio Lula da Silva.

PELOTAS É UMA CIDADE QUE EXPORTA VIADOS."
Luiz Inácio Lula da Silva.

"Um número baixo de votantes é uma indicação de que menas pessoas estão a votar."
Luiz Inácio Lula da Silva.

Nós estamos preparados para qualquer imprevisto que possa ocorrer ou não."
Luiz Inácio Lula da Silva.

"MINHA MÃE NASCEU ANALFABETA."
Luiz Inácio Lula da Silva.

"Não é a poluição que está prejudicando o meio-ambiente. São as impurezas no ar e na água que fazem isso.”
Luiz Inácio Lula da Silva.

É tempo para a raça humana entrar no sistema solar."
Luiz Inácio Lula da Silva.

Marido de grávida terá estabilidade...


Existem coisas que não deveriam mais nos surpreender em termos de Brasil, mas ainda causam espanto... Foi deste modo que me peguei quando da divulgação do projeto de lei de autoria do presidente da casa, deputado Arlindo Chinaglia (PT-SP), que proíbe a dispensa arbitrária ou sem justa causa do trabalhador cuja mulher ou companheira estiver grávida, por um período de 12 meses... O prazo a ser contado é a partir da concepção presumida, comprovada por laudo de médico vinculado ao Sistema Único de Saúde (SUS). A proposta ainda precisa ser votada no Senado e passou pela Câmara em um momento de crise econômica e ameaça de demissões no País... Após o parecer conclusivo da CCJ da Câmara dos Deputados, Chinaglia comemorou a aprovação. “Ao propor este projeto, minha preocupação foi com a criança e a família... Não consigo imaginar, no nascimento da criança, um pai desempregado... É uma forma de dar maior tranqüilidade à mãe e isso repercute também na saúde do feto e do recém-nascido. Espero que o Senado aprove.”
O autor do projeto disse acreditar que não haverá pressão de empresários para que a proposta não entre em vigor. “Qualquer empresário moderno e lúcido sabe dos benefícios e da maior produtividade dos empregados que têm benefícios. É apenas um critério para proteger os pais que terão filhos, para que eles não sejam os primeiros em listas de demitidos. Não acredito em reação dos empresários, esse tipo de medida não caracteriza o engessamento das relações trabalhistas. Há países onde os trabalhadores têm muito mais proteção que os nossos”, afirmou Chinaglia... Só que o momento econômico que nos aguarda para o próximo ano é recheado de incertezas e uma empresa que atravesse dificuldades econômicas se verá em apuros para reduzir seu quadro de funcionários... A Confederação Nacional da Indústria (CNI) divulgou nota em que se diz preocupada com a aprovação projeto pela CCJ. Segundo a nota, a CNI espera que “o Senado reforme essa decisão”. Para a entidade, propostas como essas “podem gerar efeitos colaterais indesejados ao afetar a competitividade empresarial e até mesmo inibir a geração de empregos”.
De acordo com a CNI, a proposta é inoportuna, pois “agrega mais um risco associado à legislação trabalhista, com reflexos negativos sobre a gestão das empresas”. Para a entidade, o projeto também é inconstitucional... Pelo texto aprovado, o empregador que desrespeitar as regras fica sujeito à multa equivalente a 18 meses de remuneração do empregado. Porém, as regras não valem para o trabalhador contratado por tempo determinado... Penso que é mais uma interferência nas já tumultuadas e complexas relações entre patrões e empregados, e que se apresenta mais como uma medida politiqueira que pode prejudicar fortemente às empresas, entupir os TRT´S pelo país afora e fazer a alegria dos advogados trabalhistas.
Enquanto isso, a carga tributária das empresas continua nas alturas...
Aprovar um projeto desses é de uma irresponsabilidade sem medida.
Só uma pergunta: Como se dará a situação de um trabalhador que se declare solteiro ao ser contratado, e que ao ser demitido alegue que será pai?... Isso vai dar muito “pano pra manga”... Certamente o trabalhador que for casado ou mantiver uma união civil estável terá que ser analisado não apenas por seu perfil profissional, mas pela possibilidade de reproduzir-se.
As empresas não merecem mais esse ônus.

sexta-feira, 5 de dezembro de 2008

E assim se fez o silêncio...


Na segunda-feira, 1º de dezembro de 2008 foi anunciada a saída de circulação de um dos mais tradicionais jornais carioca... A Tribuna da Imprensa.
Fundada nos anos 40 por Carlos Lacerda, um dos mais polêmicos personagens do cenário político carioca e nacional, a Tribuna foi adquirida na década seguinte por Hélio Fernandes, e manteve o mesmo estilo agressivo e polêmico que caracterizou o jornal desde os tempos de seu fundador... Mesmo que não raramente discordasse veementemente da linha editorial do jornal e da abordagem por vezes inapropriada de alguns temas, não se pode descartar a importância que o jornal teve nesses quase 60 anos.
Durante o período do governo militar, a Tribuna foi alvo de toda sorte de perseguições, que iam desde boicote de anunciantes até o incêndio de bancas de jornais que insistissem em vender o diário... Por conta disso, está nas mãos do Supremo um pedido de indenização que importa em cerca de R$ 10 milhões de reais e nunca é julgado... Coisas do Brasil, onde certamente seria diferente se alguma indenização fosse destinada a ‘reparar injustiças’ cometidas contra os ‘cumpanheros’ terroristas instalados hoje no poder... Pelos motivos que já citei, nunca fui muito fã da Tribuna, mas por acreditar antes de mais nada na liberdade de expressão, lamento profundamente que isso tenha ocorrido... O fato é triste porque morre um pouco da polêmica que tanto bem faz a Democracia, em que pese estarmos em tempos de uma “maré vermelha” que tomou conta do país, e estejamos nos afastando cada vez mais dela sem que o povo se dê conta disso.
Em um Estado onde os jornais cada vez mais se parecem com uma deliciosa sopa de chuchu, a Tribuna deixa uma lacuna difícil de ser preenchida.
É o perigo do pensamento único que alimenta o silêncio da omissão.
Perdemos todos nós.

quinta-feira, 4 de dezembro de 2008

Viva o cinismo!...




Recebi de minha amiga Vivian e compartilho por não imaginar momento político mais oportuno:

"Alguns dos pensamentos abaixo datam do início da humanidade.
A lição que aprendemos é que nada mudou no ser humano, em que pese
a imensa transformação tenológica. Aí vai:

"Leis escritas são como teias de aranha. Pegarão os fracos e os pobres, mas serão despedaçados pelos ricos e poderosos" (Anacáris, príncipe dos citas) - a respeito das recentes decisões soltando Daniel Dantas;

"Hoje há grande demanda de pessoas que fazem o errado parecer certo" (Terêncio, dramaturgo latino nascido em Cartago) - muito aplicável em nossa política atual e de sempre;

"Nós enforcamos os ladrõezinhos e indicamos os grandes ladrões para os cargos públicos" (Esopo, fabulista romano) - a respeito dos criminosos de colarinho branco;

"O roubo de milhões enobrece os ladrões" (Marquês de Maricá, político brasileiro) - idem;

"Os ladrões de bens privados passam a vida no cárcere e nos grilhões. Os ladrões de bens públicos, no ouro e na púrpura" (Catão, estadista romano) - idem;

"Há três tipos de governo: o que faz acontecer, o que assiste acontecer e o que nem sabe o que acontece" (George Santayna, filósofo norte-americano) - a respeito do Governo Lula, deixando a opção de resposta para cada leitor.

É claro que dedico isso aos parlamentares brasileiros que acabam de livrar a cara de "paulinho" da Força Sindical, mais um pilantra beneficiado por interesses inconfessáveis...

Assim caminha o governo brasileiro...

domingo, 30 de novembro de 2008

Lula e Gandhi...


Por conta de um e-mail que recebi de meu amigo Percy Vieira que remonta ao longínquo ano de 2006 e ainda hoje circula na grande rede, cabe lembrar que houve um tremendo rebuliço à época, quando da divulgação do valor do benefício que Lula recebia e ainda recebe como “anistiado político”.
Muitos foram os ‘Kamaradas’ que se levantaram contra a divulgação deste documento por julgar que ele continha informações de cunho pessoal e privado de Lula. Desnecessário dizer que discordo amplamente, já que como e onde é gasto o dinheiro do contribuinte não pode ser considerado informação privada, salvo em caso de Segurança Nacional, coisa de que definitivamente, o documento não trata.
Os arquivos do período pós-64 sofreram toda sorte de pressão para ter seu conteúdo revelado, independente da confidencialidade deles, para servir como “lastro” de uma campanha pública visando angariar apoio do cidadão contribuinte aos sucessivos assaltos aos cofres públicos promovidos pela ‘cumpanheirada’ petista.
Esse assalto se deu e ainda se dá na forma de indenizações aos anistiados políticos e vultosas pensões pagas pelo estado brasileiro, à custa de todos nós.
Sendo assim, reproduzo o artigo abaixo lembrando que os dados nele contidos abrangem o período de Agosto de 2006 à Outubro de 2007, exceto pela imagem acima, que é de Junho de 2008.

Por Félix Maier*

Em 2006, o então presidente-candidato andou se comparando com algumas figuras históricas. Comparou-se com Jesus Cristo e com Tiradentes. Logo apareceu uma piadinha na internet: “a gente o crucifica ou o enforca”? Lula também se comparou com Gandhi, o exótico pacifista que dormia com moças nuas para se aquecer.
De fato, Lula tem algumas semelhanças com Gandhi. Enquanto Gandhi se apresentava como pobre, porém tinha uma entourage muito dispendiosa para lhe dar apoio, Lula, o “pai dos pobres”, tornou-se milionário durante o período em que está à frente da presidência da República.
“Gandhi não foi um libertador, mas um político exótico, cujo florescimento só foi possível graças à proteção proporcionada pelo liberalismo britânico”. (...) Conhecemos mais sobre as intimidades de sua vida do que a de qualquer outro ser humano na história. Ele vivia em público no seu ahsram ou acampamento religioso, atendido por um numeroso círculo de mulheres devotas, cuja maioria estava sempre pronta a descrever sua forma de viver nos mínimos detalhes. Em meados dos anos 70, já existiam mais de quatrocentas biografias dele, e a edição inglesa de seus pronunciamentos, compilada por cinqüenta pesquisadores e trinta funcionários do Ministério da Informação indiano – que criou um departamento especial com esse propósito – preencheria oitenta volumes com uma média de 550 páginas cada.
(...) Na verdade, o próprio ahsram de Gandhi, com seus gostos ‘simples’, porém muito dispendiosos, e inumeráveis ‘secretários’ e empregadas, só se sustentava com pesados subsídios bancados por três príncipes mercadores. Assim observou uma pessoa do seu círculo: ‘Custa muito dinheiro manter Gandhi vivendo na pobreza’ “(Paul Johnson, in Tempos Modernos, pg. 397-398)”.
E quanto custa manter Lula se apresentando como o “pai dos pobres”? Custa caro, caríssimo, como podemos comprovar, a seguir.
Inicialmente, Lula custa caro ao Brasil por ter-se aposentado aos 42 anos, recebendo uma “Aposentadoria de Anistiados”, que no mês de agosto de 2006 foi de R$ 4.508,82 e 13º salário igual a R$ 2.254,41, totalizando R$ 6.763,23, com desconto igual a R$ 0,00. Qualquer trabalhador com menos de 65 anos e benefícios acima de R$ 1.258,00 paga imposto de renda na fonte. Lula não foi exilado, preso político nem torturado – por que então essa regalia? Lula pegou alguns dias de xilindró como preso comum, não como preso político, por ter afrontado a Lei de Greve.
Aliás, esse tipo de imoralidade foi estendida a muitos “militantes políticos” ou familiares de, por conta de uma alegada “perseguição política”. Entre os privilegiados da sorte grande, podem-se citar os familiares dos terroristas Prestes, Apolônio de Carvalho, Lamarca e Marighela, e o escritor Carlos Heitor Cony, que recebeu uma indenização de cerca de R$ 1,5 milhão e salário mensal equivalente ao de ministro do STF – o maior salário da nação para funcionários públicos. Segundo a revista Veja (artigo “Comunistas profissionais”.), de 11/10/2006, pg. 74, o montante de indenizações concedidas por FHC e Lula já chega a R$ 3 bilhões!
Lula custa caro ao Brasil porque viaja muito. Para viajar com mais conforto ao exterior, sem muitas escalas, Lula gastou quase R$ 200 milhões para comprar o Air Force 51, mais conhecido como “Aerolula” – valor que daria para construir 5 hospitais.
Viajando muito, Lula custa caro ao País porque recebe diárias que, no exterior, são pagas em dólares. Devido a essa e outras mordomias palacianas, em que não precisa despender nenhum centavo para pagar casa, cama e comida – embora se hospede nas casas de embaixadores, no exterior, com casa, cama e comida grátis -, em três anos e meio Lula tornou-se milionário, duplicando seu patrimônio, hoje avaliado por ele próprio em torno de R$ 1 milhão.
Lula custa caro ao Brasil porque criou vários ministérios inúteis, com o único objetivo de empregar a “companheirada” que havia sido derrotada nas eleições de 2002, a exemplo de Olívio Dutra. Custa caro ao País sustentar Lula porque permitiu que o PT tomasse de assalto o Estado brasileiro, criando mais de 20.000 novos cargos de confiança para petistas e aliados, chegando perto do astronômico número de 50.000 cargos (os EUA têm somente 4.000 cargos semelhantes). Além de ser um verdadeiro assalto aos cofres públicos, essa “ação entre amigos” foi feita para forrar os cofres do Partido, pois todos os kamaradas têm que pagar o “dízimo” à igreja petista.
Lula custa caro ao Brasil, muito mais do que Gandhi custava à Índia, porque permitiu a maior roubalheira que se tem notícia na história brasileira. O governo Collor, ao lado do de Lula, foi um convento de freiras. Mensalão, dólares na cueca, dólares das FARC, dólares de Cuba, sanguessugas, dossiê-gate são os mais novos neologismos criados por Lula e pelo PT, já comuns na boca de toda a população brasileira – e até no exterior.
Lula custa caro ao Brasil por permitir que seu filho, Lulinha, e dois sócios petistas recebessem R$ 15 milhões da Telemar, dinheirama injetada numa firma de fundo de quintal. Hoje, Lulinha possui um canal de televisão e quando a imprensa pede explicações por essa sem-vergonhice, Lula candidamente desconversa, dizendo que ninguém tem nada a ver com os negócios de seus familiares. Nos negócios de sua família, realmente ninguém tem o direito de opinar, porém, nas negociatas, sim! Durante o governo Castelo Branco, este demitiu um irmão que se meteu em falcatruas.
Lula custa caro ao Brasil por continuar a política de FHC, de remeter farto dinheiro aos terroristas do messetê, para que continuem o esbulho no campo, o assalto de caminhões nas estradas, a invasão de prédios públicos. Lula é o próprio messetê, na medida em que coloca o boné de Pedro Stédile na cabeça, em pleno Palácio do Planalto.
Lula custa caro ao Brasil por forrar as despensas de seus palácios com comida e bebida que daria para alimentar um batalhão.
Lula custa caro ao Brasil por ter reconhecido a China como uma “economia de mercado”. Com o dólar barato, sapatos, roupas, tecidos, eletroeletrônicos e quinquilharias diversas invadiram nosso País, ocasionando a quebradeira de muitas indústrias nacionais.
Feliz foi à Índia, que tinha três magnatas para sustentar a pobreza de Gandhi.
Infeliz é o Brasil, que precisa financiar Lula, Lulinha, os “40 ladrões” denunciados pelo Procurador-Geral da República e a companheirada enquistada no Estado brasileiro,

*Félix Maier é militar da reserva e escritor.

domingo, 23 de novembro de 2008

Astronauta perde bolsa no espaço...


Parece piada machista, mas não é... Depois de décadas de luta para terem seus direitos equiparados com os dos homens, um incidente bobo e nem por isso menos engraçado, ocorrido na Estação Espacial Internacional no último dia 18/11/08, foi notícia no mundo todo: Enquanto a astronauta da Nasa, Heidemarie Stefanyshyn-Piper, fazia reparos do lado de fora da Estação Espacial, à bolsa de ferramentas se perdeu no espaço... Esse foi o primeiro incidente que ocorreu durante esta caminhada espacial.
A bolsa flutuou em direção ao infinito após a explosão de um aplicador de graxa... A astronauta tentava limpar a graxa do uniforme e o acessório escapou... Ela estava no início do trabalho para destravar o mecanismo de rotação de um painel solar.
"Ah, que ótimo!", disse, no momento, a astronauta. Para continuar o conserto, recebeu a ajuda de um colega.
O incidente só não foi mais grave porque o celular, o baton e as chaves do carro estavam em casa, junto com as outras milhares de coisas que cabem na bolsa de uma mulher.
Após o ocorrido, a Nasa avalia possíveis problemas que as futuras missões enfrentarão devido à perda das ferramentas.
Shits happen...
Fonte: G1
Imagem: www.apolo11.com

Próxima parada: DOHA


Depois da reunião do G 20 em Washington, o próximo desafio dos líderes mundiais está na rodada de DOHA... Aquela mundialmente famosa por produzir... Nada!... Se antes da explosão da bomba econômica que os americanos deflagraram já estava difícil chegar a algum acordo, agora piorou muito... Ainda mais no caso da diplomacia econômica brasileira, que acumula fracassos retumbantes e é muito mais conhecida por isso que por obter sucessos nas negociações em bloco... Na verdade não faz o menor sentido o Brasil tentar continuar somente negociando em bloco... Seria muito mais eficiente se a diplomacia comercial analisasse individualmente a pauta de exportações de um determinado país e estabelecesse acordos bilaterais... Cada dia que passa nesta economia em crise, fica mais evidente que ter mais parceiros comerciais é muito mais seguro que ter um único bloco e suas infindáveis barreiras econômicas... Sem contar que deveríamos dar uma guinada nesta mesma pauta de exportações e parar de priorizar unicamente commodities... Está mais que na hora de aumentarmos nossa pauta de produtos industrializados e consequentemente nosso saldo na balança comercial... É ridículo exportarmos minério de ferro e importarmos aço plano.
Não basta mais ser o “celeiro do mundo”.
O Brasil tem o dever de ser tornar um “player” respeitado no mundo inteiro.

domingo, 16 de novembro de 2008

Reunião do G-20 em Washington... Quais os resultados práticos?


Foi muito bom ver Guido Mantega admitir que caminhamos no ano de 2009 para um quadro de depressão global... Não que qualquer um de nós esteja torcendo pelo caos, mas somente por ver que o governo brasileiro deixou de viver no país do “faz de conta” que só ele, governo, acreditava existir... Não se trata mais de saber se haverá recessão ou não... Isso é certo!... O que resta é tentar impedir que a recessão se transforme em depressão... Bom, mas o que é “depressão”?... É figura de linguagem corrente entre os economistas que “recessão” é quando seu vizinho perde o emprego... Já à “depressão” é quando VOCÊ perde o emprego, também.
Mas o mais importante e eloqüente dos acontecimentos que precipitaram a crise de liquidez global, é que depois disso, o mercado financeiro jamais será o mesmo... Todos já sabiam há pelo menos um ano que o mercado hipotecário americano estava quebrado, mas a coisa havia tomado tal proporção que não havia, do ponto de vista do governo, ainda mais em ano eleitoral, nada que pudesse ser feito para evitar o desastre que se seguiu, sem que isso tivesse conseqüências políticas graves... Ainda mais quando se leva em conta que não é praxe dos Republicanos intervirem na economia de modo regulatório... Coisa de uma democracia plena, porém imperfeita como todos os sistemas políticos existentes... Uma coisa ficou clara no Fórum de Washington: O mundo não está disposto a pagar pelos erros de um sistema financeiro predatório e irresponsável, que mesmo no momento do estouro da “bolha” ainda pretendia pagar bônus milionários aos gestores dos fundos... Seguramente, depois que este terremoto passar o mercado não será mais o mesmo, para alívio de bilhões de pessoas mundo afora.
Outro fato interessante é que essa reunião do G-20 produziu mais resultados práticos que às intermináveis e inócuas Rodadas de Doha.
Quem tem (*), tem medo!

domingo, 9 de novembro de 2008

Os Burros e o Mercado...



Essa é antiga, mas vem bem a calhar nos dias de hoje...

Uma vez, num pequeno e distante vilarejo, apareceu um homem
anunciando que compraria burros por R$10,00 cada... Como havia muitos
burros na região, os aldeões iniciaram a caçada... O homem comprou
centenas de burros a R$10,00, e como os aldeões diminuíram o esforço na caça, o homem anunciou que pagaria R$20,00 por cada burro.
Os aldeões foram novamente à caça, mas logo os burros foram
escasseando e os aldeões desistiram da busca... A oferta aumentou
então para R$25,00 e a quantidade de burros ficou tão pequena que já
não havia mais interesse em caçá-los. O homem então anunciou que
compraria cada burro por R$50,00!... Como iria à cidade grande,
deixaria seu assistente cuidando da compra dos burros.

Na ausência do homem, seu assistente propôs o seguinte aos aldeões: - "Sabe os
burros que o homem comprou de vocês?... Eu posso vendê-los a vocês a
R$35,00 cada... Quando o homem voltar da cidade, vocês vendem a ele
pelos R$50,00 que ele oferece, e ganham uma boa bolada".

Os aldeões pegaram suas economias e compraram todos os burros do
assistente... Os dias se passaram, e eles nunca mais viram nem o
homem, nem o seu assistente, somente burros por todos os lados.

"Entendeu agora como funciona o mercado de ações"?

sexta-feira, 7 de novembro de 2008

A “negritude” e a presidência americana...



Confesso que estou de saco cheio de ouvir a afirmação de que Obama é o primeiro presidente negro da história americana... Todos sabem disso, e é mais uma razão para tirarmos o chapéu para a sociedade americana, que há pouco mais de 40 anos proibia que um negro olhasse nos olhos de um branco, entre outras coisas... Isso no Brasil é impensável... Quase duzentos anos depois de assinada à Lei Áurea, preferimos continuar tratando os negros como irmãos... Na verdade, meio-irmãos, como tantos meio-irmãos gerados na alcova pelos brancos Senhores de Escravos... Bastardos, entre outros adjetivos possíveis... Aqui não temos que nos preocupar com direitos civis de negros... Eles raramente oferecem competição à elite branca dominante... Não disputam os melhores postos de trabalho, não disputam os melhores salários do mercado, não comem no Fasano e não se hospedam no Copacabana Palace... Tirando às Artes e o Esporte, e um ou outro que se destacam nos meios acadêmicos, as únicas coisas que disputam é um trem lotado para o trabalho ou a boca de fumo do concorrente... Daí preferirmos continuar fingindo que aqui não existe preconceito... A dura e tristemente bela história dos negros no Brasil sequer parece ser percebida por nós brasileiros, escondidos por trás de nossos Insul-Films, devidamente refrigerados... Não há indignidade e segregação que o carnaval não cure... Lá sim, talvez resida o único momento onde a cor da pele pouco importa e onde eles são “senhores do espetáculo”... Mas enquanto o carnaval não chega, continuamos fingindo que somos todos iguais... A mídia do mundo inteiro parece pouco se importar com o homem que existe por baixo da cor da pele e faz questão de ressaltar a origem étnica de Obama, como se o mundo White Power ainda não se tenha conformado com um negro no comando da mais poderosa nação do mundo... Não se iludam: Tanto lá como cá, ao primeiro escorregão de Obama, seremos todos impiedosos como sempre com a cor, mas cretinos e dissimulados como sempre para negarmos isso.
Vide Silvio Berlusconi e sua afirmação de que Obama é “bonito, jovem e bronzeado”, e sua tentativa de desmentir que houvesse racismo velado em sua declaração.

sábado, 25 de outubro de 2008

Um pouco mais do mesmo...


Fim de reta, pé no freio para fazer a curva, você acelera na retomada e vota... Vota achando que sairá de lá com mais gás, mais rápido e melhor... Não será você a cruzar a linha de chegada... Será seu candidato!... E isso está longe de representar seus interesses... Não se iluda: Na linha de chegada, você terá mais do mesmo!... O Rio é um exemplo claro disso... Entre ex-guerrilheiro, candidato penta-filiado, sungas de tricô, um que fumou mas não tragou, outro que fumou e tragou, um que foi fundador do PT e outro que chamou Lula de “chefe de quadrilha” mas se arrependeu em nome do ”povo”, quem vai pagar a conta é você!... E como ficamos?... A resposta é simples: Na mesma merda!... Mas Gabeira representa uma “nova merda”... Não aquela merda que originou Eduardo Paes, e da qual eu, réu confesso, fui eleitor... Não se deixem iludir:
Não importa quem vai vencer no Rio, todos vão ter que cumprir o ritual de “beija-mão” presidencial comum aos políticos... Vendo o debate de ontem, percebi que para sermos felizes não precisamos de nada mirabolante... Ansiamos pelo tal “mais do mesmo”... O discurso dos candidatos é tão igual que um confortavelmente seria “vice” do outro... Tá na dúvida?... Não esquenta: Use um método infalível... Uni-duni-tê, sala-mê-min-guê... Vai dar rigorosamente no mesmo!
Mas podia ser pior...
Podia ter Molon...
Podia ter Jandira...
Ou ainda um maluco destes do PCO, que nem a mãe dele lembra o nome.
Como é bom ser carioca... Só dói quando eu Rio!

quinta-feira, 23 de outubro de 2008

Feriado do servidor público: Ardil eleitoral...


Ajudem minha pobre memória: Há quanto tempo o governo não “move” um feriado?... Não lembro mesmo... Numa destas manobras pra lá de suspeitas, o Governo Federal resolveu antecipar o feriado do Dia do Servidor Público, do dia 28 de Outubro, para o dia 27 de Outubro, portanto, próxima segunda-feira... Não fosse o dia 26 de Outubro o dia de realização do segundo turno nas cidades onde isso se deu, pareceria tudo muito normal... O mais curioso é que nas duas principais capitais do país, onde o PT ou tem candidato direto, como em São Paulo, ou apóia algum outro, como no Rio de Janeiro, ambos os candidatos estão atrás nas pesquisas... Muito conveniente colocar um feriado que seria na terça-feira, para segunda-feira, não?... E quem é que deixaria às cidades para “curtir” um fim de semana prolongado?... O trabalhador de baixa renda é claro que não... Esse nem dinheiro têm para viajar, ou se tem, não pode comprometê-lo com lazer... Quem deverá viajar será justamente à classe média, essa que aperta daqui e dali, mas acaba dando um jeitinho de viajar... E é justamente nessa ausência que o governo aposta para melhorar os resultados de seus candidatos, já que a dita “classe média” constitui a base de oposição aos candidatos do governo, e em viajem não votarão... Vamos ficar atentos, que esta manobra não pode ser capaz de permitir uma virada nas urnas... Não caiam nesse engodo!
Esta medida é mais uma daquelas que parece despretensiosa, mas não é!
Ninguém dá nada de graça a ninguém.
Muito menos o governo Lula.

A testemunha... Momento de descontração.


Num julgamento em Brasília (DF), o Promotor de Justiça chama sua primeira testemunha, uma velhinha de idade bem avançada.

Para começar a construir uma linha de argumentação, o Promotor pergunta à velhinha:

- Dona Genoveva, a senhora me conhece, sabe quem sou eu e o que faço?

- Claro que eu o conheço, Marcos! Eu o conheci bebê. Só chorava, e francamente, você me decepcionou. Você mente você trai sua mulher, você manipula as pessoas, você espalha boatos e adora fofocas. Você acha que é influente e respeitado na Cidade, quando na realidade você é apenas um coitado. Nem sabe que a filha esta grávida, e pelo que sei, nem ela sabe quem é o pai. Ah, se eu o conheço! Claro que conheço!

O Promotor fica petrificado, incapaz de acreditar no que estava ouvindo. Ele fica mudo, olhando para o Juiz e para os jurados. Sem saber o que fazer, ele aponta para o advogado de defesa e pergunta à velhinha:

- E o advogado de defesa, a senhora o conhece?

A velhinha responde imediatamente:

- O Robertinho? É Claro que eu o conheço! Desde criancinha. Eu cuidava dele para a Marina, a mãe dele, pois sempre que o pai dele saia, a mãe ia pra algum outro compromisso. E ele também me decepcionou. É preguiçoso, puritano, alcoólatra e sempre quer dar lição de moral nos outros sem ter nenhuma para ele. Ele não tem nenhum amigo e ainda conseguiu perder quase todos os processos em que atuou. Além de ser traído pela mulher com o mecânico... Com o mecânico!!!

Neste momento, o Juiz pede que a senhora fique em silêncio, chama o promotor e o advogado perto dele, se debruça na bancada e fala baixinho aos dois:

- Se algum de vocês perguntar a esta velha filha da puta se ela me conhece, vai sair desta sala preso... Fui claro???

Gentilmente enviado por Salete Lemos.

quarta-feira, 22 de outubro de 2008

O arroto do inseto...


Faz tempo que não falo de Lula... Na verdade, faz tempo que estou abastecendo meus ouvidos com suas bobagens compulsivas, e tem horas que é melhor não dizer nada... Ainda mais depois de ouvir bravatas do tipo – O Brasil nada sofrerá com a crise internacional –... Resolvi ficar calado, esperando... E por mais incrível que possa parecer, torcendo que ele estivesse certo, mesmo não acreditando em nada do que ele diz... Não se trata de descrença sistemática, trata-se de que, para infelicidade dele, nem todo brasileiro é burro como ele gostaria que fosse... Já falei várias vezes, que por uma questão matemática, não haveria como uma economia do tamanho da americana passar por um terremoto desses, sem que o mundo todo balançasse... E a prova disso está aí: Em pouco mais de um mês em que a crise americana se tornou sistêmica, o Brasil já torrou mais de U$ 20 bilhões, na tentativa de conter a desvalorização do Real... Mas o que é isso para a grandiosa economia do inseto-líder do cone-sul?... Não é nada, já que o inseto possui reservas de mais de U$ 200 bilhões, mesmo que tenhamos torrado 10% destas reservas em apenas um mês, e a moeda americana, que se mantinha desvalorizada artificialmente venha demonstrando que não recuará tão facilmente, não importando quanto dinheiro o BC ponha no mercado para conter a elevação da cotação... Mas aí vem o gafanhoto-chefe e diz que a crise irá atingir sim, o Brasil, e que existe à possibilidade de corte no orçamento dos ministérios para 2009... Pelo visto ele foi o último a ser informado disso... E onde foi parar o discurso em que pedia que todos continuassem gastando?... Sumiu feito mágica, e se alguém cobrar isso dele, será bem capaz de dizer que não sabia que a coisa era tão séria.
Felizmente à anatomia com a qual fomos agraciados pelo criador nos deu dois ouvidos e uma boca... Fosse diferente, estaríamos em maus lençóis com Lula, o inseto boquirroto.

segunda-feira, 20 de outubro de 2008

Arthur Sendas morre baleado no Rio de Janeiro...


Encontrado baleado na cabeça, em seu apartamento no bairro do Leblon, morreu hoje, por volta das 02h00min, o empresário Arthur Sendas, fundador do grupo Sendas... Arthur Sendas nasceu em São Mateus, São João de Meriti, Rio de Janeiro. Começou a trabalhar cedo para ajudar o pai e com 17 anos assumiu o comando do Grupo Sendas, que chegou a ter mais de 80 lojas.
Sendas deu entrada no hospital Samaritano, no Bairro de Botafogo, zona sul do Rio, onde já teria chegado em morte cerebral, e sequer foi operado... As circunstâncias da morte ainda estão envoltas em mistério, mas segundo informações preliminares ele teria sido baleado por seu próprio segurança após uma discussão... Arthur Sendas defendeu o quanto pôde o título de maior empresa com capital 100% nacional (era em 2003 a quinta no ranking da Associação Brasileira dos Supermercados)... Mas o fôlego do empresário acabou, e ele finalmente cedeu ao assédio de Abílio Diniz, dono do Pão de Açúcar (que tem 24% de suas ações nas mãos da francesa Casino)... Em 2003, as duas redes anunciaram a fusão de seus ativos no Rio de Janeiro, dando origem à Companhia Sendas de Supermercados. A nova empresa possuía controle acionário dividido em partes iguais.
Arthur Sendas afirmou à época que foi um negócio do tipo “se não é possível vencê-los, junte-se a eles”... A família Sendas estava envolvida numa disputa milionária na Justiça com o empresário Abílio Diniz, dono do Pão de Açúcar, pela compra de ações do grupo.

sábado, 18 de outubro de 2008

O grande erro no seqüestro de Eloá...


Foi uma tragédia anunciada.
Qualquer especialista em negociação e gerenciamento de conflito é unânime em afirmar que a polícia de São Paulo errou grosseiramente ao mandar de volta ao apartamento, mesmo que tenha sido por vontade própria, Nayara, a refém que havia sido libertada em um primeiro momento... Isso nunca poderia ter sido permitido, e poderia ter resultado numa tragédia maior... Nesta altura é difícil saber quem ou o que motivou tal decisão, mas é consenso geral, e manda a boa técnica nestes casos, que quem negocia conflito não comanda a operação... E isso por uma razão muito simples: estratégia.
Aquele que negocia, tem que poder alegar que “não é ele que está no comando, e que não pode atender esta ou aquela exigência do seqüestrador, e que verá com o comandante da operação o que pode conseguir”... É prematuro afirmar o que ocorreu nos bastidores da operação, mas parece óbvio que em dado momento, a polícia resolveu esperar que os fatos se resolvessem por si só... Vencer o seqüestrador pelo cansaço... Pelas poucas imagens que vi na TV, pude ver ao menos duas oportunidades em que o seqüestrador poderia ter sido alvejado por um atirador de elite e isso não se deu... Preferiram cruzar os braços e apostar em um desfecho milagroso... A polícia paulista tem errado de modo rotineiro nestas situações, mas desta vez foi bizarra... A eliminação do seqüestrador era um risco aceitável diante do desfecho que o caso poderia acabar tendo, como acabou acontecendo.
A jovem Eloá, de 15 anos, foi baleada na cabeça e na virilha esquerda e seu estado de saúde é gravíssimo... A outra jovem que também era mantida refém, foi atingida no rosto e seu quadro de saúde é estável, porém, ela está consciente e consegue falar.
O seqüestrador, Lindembergue Alves, de 22 anos, foi encaminhado para o 6° DP de Santo André e nada sofreu.
A PM de São Paulo é muito mais “precisa” dando tiro em outros policiais, que lidando com seqüestradores.

sexta-feira, 17 de outubro de 2008

Bang-Bang paulistano: Polícia Civil X Polícia Militar...


Não faltava mais nada em termos de crise institucional na área de segurança pública... A manifestação dos policiais civis, em greve há 31 dias, terminou em conflito com a Polícia Militar, nas proximidades Palácio dos Bandeirantes, no bairro do Morumbi... Bombas de efeito moral, balas de borracha e até disparos com munição real... Como não podia deixar de ser, estavam presentes no conflito, PT, CUT e a Força Sindical, além, claro, do deputado Paulo Pereira da Silva (PDT-SP), suspeitos de quererem manipular os manifestantes para tirar proveito eleitoral... Enfim, “em casa que não tem pão, todos brigam e ninguém tem razão.” A oposição ao governo estadual reagiu acusando o governador da mesma manipulação que é acusado. Desde fevereiro há a tentativa de negociação direta com Serra. Os policiais civis pedem 15% de reajuste salarial em 2008 e 12% para 2009 e 2010. Alegam que a remuneração na Polícia Civil de São Paulo é a pior do Brasil. O governo paulista ofereceu 6%.
O fato é que os policiais civis de São Paulo estão entre os mais mal remunerados do país, e sua é solicitação é justa, já que aumento real, não recebem há 14 anos...
Os primeiros números médicos do conflito relatavam 12 feridos, sendo 10 policiais civis, um cinegrafista e um coronel da PM.
A manipulação política de um setor tão sensível e importante para a sociedade, é algo muito perigoso, e só faz crescer no cidadão a sensação de insegurança.

quinta-feira, 16 de outubro de 2008

Diretor de Bangu 3 é morto com mais de 30 tiros...


O Crime ocorreu na manhã desta quinta-feira (16) na altura de Deodoro.
Várias equipes, tanto da polícia civil como militar estão no local e o engarrafamento na via é grande... Ainda não há informações sobre os autores do crime.
O diretor do presídio de segurança máxima Bangu 3, tenente coronel José Roberto do Amaral Lourenço, foi morto na Avenida Brasil, no trecho próximo a Deodoro, na Zona Oeste do Rio...Segundo informações iniciais, a vítima foi morta com mais de trinta tiros... O crime aconteceu próximo à entrada do Complexo de Gerincinó, na pista sentido Zona Oeste da avenida.
Em 2000, diretora de Bangu 1 foi assassinada
No mês passado, a Justiça condenou o governo do estado a pagar R$ 1,3 milhão à família de Sidnéia Santos de Jesus, que foi morta na porta de casa, na Ilha do Governador, em 2000, quando ocupava o cargo de diretora de Bangu 1
Sidnéia era tida como linha dura por cortar regalias dos presos e apertar o cerco contra o uso de telefones celulares no presídio. Na ocasião do crime, estavam presos em Bangu 1 traficantes como Fernandinho Beira-mar, Uê e Marcinho VP.
A suspeita era de que traficantes e agentes penitenciários da unidade tivessem encomendado sua morte.
Fonte: G1

segunda-feira, 13 de outubro de 2008

Brizola e a anistia “post mortem”... As aves de rapina são eternas...


Os “Kamaradas” cuidam uns dos outros... Nem que para isso tenham que avançar sobre o dinheiro público, presa fácil do “justiçamento” promovido pela escória vermelha.
A Comissão de Anistia oficializa hoje à tarde em Brasília o ex-governador Leonel Brizola como anistiado político pelo governo federal... O pedido foi feito pela companheira de Brizola, Marília Guilhermina Martins Pinheiro, que teve uma união estável com Brizola durante 11 anos... Inda que eu não me lembre da lei que regulamenta a união estável vigorar naquela época, mas para eles tudo pode tudo dá.
O objetivo é que os 15 anos de exílio do político gaúcho constem como tempo para os direitos previdenciários... Marília Guilhermina já tem duas pensões: uma do governo do Rio de Janeiro, no valor de R$ 6.300,00, e outra da Câmara dos Deputados, que representa 70% do valor a que ela teria direito... O presidente da Comissão de Anistia, Paulo Abrão, afirmou que a Comissão vai aprovar a anistia post-mortem de Brizola.
Enquanto isso, à “pilantrada¹³” caça homens de bem e inventam “fatos” para tirar do contribuinte mais uns cobres.
Belíssimo país, este que construímos... Aqui se remunera e se transforma em herói, até comunista morto... Mas Brizola merece!... Foi ele quem transformou o Rio de janeiro no exemplo de sociedade socialista que é hoje, onde não se sabe mais quem é mocinho ou quem é bandido... Somos todos “Kamaradas” por aqui.

Cuidado com Brasília!...


Um menino de 5 anos queria ganhar 100 reais e rezou durante 2
semanas para Deus.

Como nada acontecia, ele resolveu mandar uma carta para o
Todo-Poderoso com seu pedido.

O correio recebeu uma carta endereçada para
'Deus-BRASIL'

Resolveram mandá-la para o Lula.

Lula ficou muito comovido com o pedido e resolveu mandar uma nota de
50 reais para o menino, pois achou que 100 reais era muito dinheiro
para uma 'criança pequena.

O garotinho recebeu os 50 reais e imediatamente notou o endereço do
remetente: 'Brasilia-DF'.

Pegou papel e caneta e sentou-se para escrever uma carta de
agradecimento:

- Prezado Deus: Muito obrigado por me mandar o dinheiro que pedi,
contudo, eu pediria que, na próxima vez, o Senhor mandasse direto pro meu endereço,
porque quando passa por BRASÍLIA, aqueles filhos das putas ficam com 50%!!!
Enviado por : Salete Lemos.

sábado, 11 de outubro de 2008

Venezuela: Todos os McDonald's fechados por 48 horas...


O doido varrido e dublê de presidente, Hugo Chávez, teve uma indisposição mental e mandou fechar todos os restaurantes da rede McDonald's no país por 48 horas, alegando irregularidades tributárias... O diretor da Receita Federal José David Cabello, disse que há problemas nos balanços da rede e também nos impostos recolhidos pela empresa.
Os 115 restaurantes McDonald's da Venezuela foram fechados na quinta-feira e permanecerão assim até hoje, sábado... Realmente o povo da Venezuela não precisa de circo, basta acompanhar Chávez... Já o pão... Estes, não são todos que tem, mas viva a revolução bolivariana e os trouxas que a defendem.
O caso é que mais que efeitos práticos, à pirotecnia do ditador venezuelano visa mantê-lo em evidência na mídia mundial e com isso ir arrebatando corações de desocupados acéfalos... E tem obtido êxito nisso... No Brasil mesmo, possui uma legião que aplaude cada ação tresloucada do gaiato.
Não posso afirmar, mas quando vejo atitudes como esta, me pergunto se Chávez é usuário de drogas ou anda compartilhando da mesma pinga que certos colegas seus.
A América Latina está pronta para conquistar à falta de respeito de todo planeta.

sexta-feira, 10 de outubro de 2008

O Brasil nunca pertenceu aos índios...


Nunca morri de amores por esta pessoa, mas acho que o artigo merece ser lido, por, no mínimo, fazer pensar...
Por Sandra Cavalcanti
Quem quiser se escandalizar que se escandalize. Quero proclamar, do fundo da alma, que sinto muito orgulho de ser brasileira. Não posso aceitar a tese de que nada tenho a comemorar nestes quinhentos anos. Não agüento mais a impostura dessas suspeitíssimas ONGs estrangeiras, dessa ala atrasada da CNBB e dessas derrotadas lideranças nacional-socialistas que estão fazendo surgir no Brasil um inédito sentimento de preconceito racial.
Para começo de conversa, o mundo, naquela manhã de 22 de abril de 1500, era completamente outro. Quando a poderosa esquadra do almirante português ancorou naquele imenso território, encontrou silvícolas em plena idade da pedra lascada. Nenhum deles tinha noção de nação ou país. Não existia o Brasil.
Os atuais compêndios de história do Brasil informam, sem muita base, que a população indígena andava por volta de cinco milhões. No correr dos anos seguintes, segundo os documentos que foram conservados, foram identificadas mais de duzentos e cinqüenta tribos diferentes. Falando mais de 190 línguas diferentes. Não eram dialetos de uma mesma língua. Eram idiomas próprios, que impediam as tribos de se entenderem entre si. Portanto, Cabral não conquistou um país. Cabral não invadiu uma nação. Cabral apenas descobriu um pedaço novo do planeta Terra e, em nome do rei, dele tomou posse.
O vocabulário dos atuais compêndios não usa a palavra tribo. Eles adotam a denominação implantada por dezenas de ONGs que se espalham pela Amazônia, sustentadas misteriosamente por países europeus. Só se fala em nações indígenas.
Existe uma intenção solerte e venenosa por trás disso. Segundo alguns integrantes dessas ONGs, ligados à ONU, essas nações deveriam ter assento nas assembléias mundiais, de forma independente. Dá para entender, não? É o olho na nossa Amazônia. Se o Brasil aceitar a idéia de que, dentro dele, existem outras nações, lá se foi a nossa unidade.
Nos debates da Constituinte de 88, eles bem que tentaram, de forma ardilosa, fazer a troca das palavras. Mas ninguém estava dormindo de touca e a Carta Magna ficou com a palavra tribo. Nação, só a brasileira.
De repente, os festejos dos 500 anos do Descobrimento viraram um pedido de desculpas aos índios. Viraram um ato de guerra. Viraram a invasão de um país.
Viraram a conquista de uma nação. Viraram a perda de uma grande civilização
De repente, somos todos levados a ficar constrangidos. Coitadinhos dos índios! Que maldade! Que absurdo, esse negócio de sair pelos mares, descobrindo novas terras e novas gentes. Pela visão da CNBB, da CUT, do MST, dos nacional-socialistas e das ONGs européias, naquela tarde radiosa de abril teve início uma verdadeira catástrofe.
Um grupo de brancos teve a audácia de atravessar os mares e se instalar por aqui. Teve e audácia de acreditar que irradiava a fé cristã. Teve a audácia de querer ensinar a plantar e a colher. Teve a audácia de ensinar que não se deve fazer churrasco dos seus semelhantes. Teve a audácia de garantir a vida de aleijados e idosos.
Teve a audácia de ensinar a cantar e a escrever.
Teve a audácia de pregar a paz e a bondade. Teve a audácia de evangelizar.
Mais tarde, vieram os negros. Depois, levas e levas de europeus e orientais. Graças a eles somos hoje uma nação grande, livre, alegre, aberta para o mundo, paraíso da mestiçagem. Ninguém, em nosso país pode sofrer discriminação por motivo de raça ou credo.
Portanto, vamos parar com essa paranóia de discriminar em favor dos índios Para o Brasil, o índio é tão brasileiro quanto o negro, o mulato, o branco e o amarelo. Nas nossas veias correm todos esses sangues. Não somos uma nação indígena. Somos a nação brasileira.
Não sinto qualquer obrigação de pedir desculpas aos índios, nas festas do Descobrimento. Muitos índios hoje andam de avião, usam óculos, são donos de sesmarias, possuem estações de rádio e TV e até COBRAM pedágio para estradas que passam em suas magníficas reservas. De bigode e celular na mão, eles negociam madeira no exterior. Esses índios são cidadãos brasileiros, nem melhores nem piores. Uns são pobres. Outros são ricos. Todos têm como nós, os mesmos direitos e deveres. Se começarem a querer ter mais direitos do que deveres, isso tem que acabar.
O Brasil é nosso. Não é dos índios. Nunca foi.

quinta-feira, 9 de outubro de 2008

Uma nova modalidade de fraude eleitoral...

Divulguei num post recente, que muitas coisas estranhas andavam acontecendo nas votações Brasil afora... Procuro averiguar antes o que recebo de informações para não correr o risco de ficar reproduzindo boatos, mas esta, confirmada por mim, vale ser repercutida: Vocês devem lembrar-se da proibição do uso de celulares nas sessões eleitorais... O celular seria usado para fotografar a tela da urna eletrônica e assim comprovar em quem se votou, fazendo jus, portanto, ao dinheiro destinado à compra dos votos... Irregularidade constatada e reprimida pelo TRE, entra em cena a criatividade do brasileiro: A câmera foi substituída por uma criança.
O esquema é de uma simplicidade de cair o queixo... O aliciador oferece, por exemplo, R$ 50,00 pelo voto do eleitor... Acordo fechado, o eleitor leva R$ 25,00 de sinal, e é acompanhado no momento da votação por uma criança que tem a função de verificar se ele vai votar no candidato que é o “patrão” deste menino (a)... Ao ser confirmado, o “eleitor” leva os R$ 25,00 restantes... Como à presença de crianças nas cabines de votação não é proibida pela lei eleitoral, fecha-se aí um exemplo de fraude e criatividade... Chegam ao requinte de, se você é branco, ser acompanhado por uma criança da mesma cor, se for negro, idem.
Nem tenho mais o que falar.
E de chorar.

Segundo turno: Dúvidas freqüentes.


DÚVIDAS SOBRE ELEIÇÕES - SEGUNDO TURNO

Qual é a data e horário da eleição em segundo turno, se houver?
Dia 31 de outubro, das 8h às 17h. Só haverá segundo turno nos municípios com mais de 200 mil eleitores, onde nenhum candidato a prefeito tenha alcançado a maioria absoluta dos votos na primeira votação, não computados os em branco e os nulos.
É possível tirar o título eleitoral ou transferir o título para votar em segundo turno?
Não. O prazo para tirar ou transferir o título eleitoral terminou no dia 3 de maio.

Quem não votou no primeiro turno pode votar no segundo?
Pode. Mas para ficar em dia com a Justiça Eleitoral, vai ter que se justificar até o dia 30 de novembro perante o Juiz Eleitoral.

O que pode acontecer com o eleitor que não votar no segundo turno?
Vale a mesma regra do primeiro turno. Se o eleitor não votar nem se justificar perante o Juiz Eleitoral até o dia 28 de dezembro terá que pagar uma multa de R$1 a R$ 3, que pode ser aumentada em até dez vezes, a critério do Juiz Eleitoral, dependendo da condição econômica do eleitor. Sem a prova de que votou na última eleição, pagou a respectiva multa ou de que se justificou devidamente, o eleitor fica sujeito a uma série de penalidades: não poderá se inscrever em concurso ou prova para cargo ou função pública, nem assumir tal cargo ou função; não poderá receber vencimentos ou salário de função ou emprego público, autárquico ou de alguma forma ligado ao Governo, correspondentes ao segundo mês subsequente ao da eleição; não poderá participar de concorrências públicas ou administrativas do governo; não poderá obter passaporte ou carteira de identidade ou renovar matrícula em estabelecimento de ensino oficial ou fiscalizado pelo Governo; e não conseguirá empréstimo nas autarquias, sociedades de conomia mista, caixas econômicas federais ou estaduais, institutos e caixas de oprevidência social, bem como em qualquer estabelecimento de crédito mantido pelo Governo ou de cuja administração esse participe e com essas entidades celebre contratos. O eleitor em situação irregular ficará ainda impedido de praticar qualquer ato para o qual se exija quitação do serviço militar ou imposto de renda.

Quais são os horários e prazo da propaganda eleitoral gratuita no rádio e TV no segundo turno?
Se houver segundo turno, as emissoras de rádio e televisão reservarão, a partir de quarenta e oito horas da proclamação dos resultados do primeiro turno e até 28 de outubro de 2008, horário destinado à divulgação da propaganda eleitoral gratuita. A propaganda será dividida em dois períodos diários: das 7h às 7h20 e das 12h às 12h20, no rádio, e das 13h às 13h20 e das 20h30 às 20h50, na televisão. O tempo de cada período diário será dividido igualitariamente entre os candidatos .
Nesse mesmo período, as emissoras de rádio e televisão reservarão, ainda, trinta minutos diários, para a propaganda eleitoral gratuita, a serem usados em inserções de até sessenta segundos ao longo da programação veiculada entre as 8h e as 24h.

Quem perder o título eleitoral entre o primeiro e o segundo turnos ainda pode pedir uma segunda via do documento?
Como no primeiro turno, o eleitor pode votar sem o título de eleitor na sua Zona e Seção Eleitoral de origem, desde que apresente documento de identidade e esteja inscrito na Seção, onde deve ser localizada sua folha individual de votação.

O local de votação no segundo turno é o mesmo do primeiro turno?
Sim, é só conferir o número de sua Zona e Seção Eleitoral junto ao Cartório Eleitoral mais próximo.

Até quando o eleitor pode apresentar justificativa eleitoral, no segundo turno?
Até o dia 28 de dezembro.

O eleitor pode ser preso no período da eleição em segundo turno?
Entre os dias 24 e 31 de outubro nenhum eleitor poderá ser preso ou detido, salvo em flagrante delito, ou em virtude de sentença criminal condenatória por crime inafiançavel, ou, ainda, por desrespeito a salvo-conduto.

Até quando pode haver comícios e reuniões públicas?
Até o dia 26 de outubro.

O pessoal convocado para trabalhar nas Mesas Receptoras, Juntas Eleitorais ou como escrutinadores é o mesmo do primeiro turno?
Sim. A convocação vale as eleições municipais, independente de haver um ou dois turnos.

O que acontece com os mesários que não comparecerem ou abandonarem os trabalhos em 29 de outubro?
O mesário que não comparecer e não apresentar justa causa ao Juiz Eleitoral até 28 de novembro terá que pagar multa a ser fixada pelo Juiz Eleitoral. Se o faltoso for servidor público ou autárquico, a pena será de suspensão de até 15 dias. As penas serão aplicadas em dobro se a Mesa Receptora deixar de funcionar por culpa dos faltosos. A pena será aplicada em dobro também ao membro da Mesa que abandonar os trabalhos no decurso da votação sem justa causa, apresentada ao Juiz até o dia 1º de novembro.

Quando será divulgado o resultado da eleição em segundo turno?
A previsão é que o resultado seja divulgado no mesmo dia.

FONTE: http://www.tre-mt.gov.br/informacoes/eleicoes/duvidas/segundoturno.asp

Odebrecht é expulsa do Equador...


O governo do Equador, não aceitou o acordo com a construtora Odebrecht e anunciou nesta quarta-feira a expulsão definitiva da empresa do país.
"O presidente tem cedido muito, mas definitivamente a Odebrecht não pode permanecer no país. Analisamos tudo e vimos que não é possível continuar com ela", disse em entrevista a jornalistas o ministro de Setores Estratégicos Galo Borja, logo após uma reunião com Rafael Correa.
A empreiteira afirmou que não havia sido comunicada oficialmente sobre a decisão.
Na semana passada, a construtora havia oferecido uma garantia de US$ 43 milhões para o pagamento de uma eventual multa, caso uma auditoria internacional responsabilizasse a construtora pelas falhas encontradas na usina hidrelétrica San Francisco, e estender a garantia das obras por mais um ano e ainda arcar com os custos de reparação das falhas na usina... Tudo começou no dia 23 de setembro quando Correa assinou um decreto ordenando o embargo dos bens da Odebrecht, a militarização de todas as obras em andamento além da proibição de que funcionários da empresa deixassem o país.
Com uma potência projetada de 230 megawatts e com capacidade para abastecer 12% da energia do país, a central San Francisco foi construída pelo Consórcio Odebrecht - Alstom - Vatech (empresas européias) e inaugurada em junho de 2007, e cerca de um ano depois de inaugurada começou a apresentar problemas, sendo fechada por razões de segurança.
A Odebrecht afirmou que, durante seu primeiro ano de funcionamento, a usina hidrelétrica foi operada pelo governo do Equador, com capacidade superior à que havia sido projetada.
A generosidade entre governos socialistas regionais tem feito com que se torne comum o ataque a empresas públicas e privadas brasileiras, com prejuízos importantes aos investidores... Será Itaipu a próxima vítima?
O tempo dirá.

quarta-feira, 8 de outubro de 2008

Lula, o Poliana de Garanhuns...


O Brasil é maior que a crise global, portanto, endivide-se!

Não pude deixar de lembrar das palavras de FHC ao comparar Lula à Poliana, aquela personagem de um conto chamado “Pollyanna, a pequena órfã”, que só via o lado bom de tudo... Lula pulverizou meu otimismo quando o vi confrontado com o dele.
Façam isso, endividem-se... Compre carro novo para pagar em 60 meses, entre no cheque especial só para viver o gostinho do perigo e ajudar os bancos, estoure o cartão de crédito e só pague o mínimo, vá as Casas Bahia e troque toda mobília por uma novinha pagando em vinte vezes... E depois se suicide!
Você vai estar quebrado mesmo e vai ouvir do magnífico Lula sua frase célebre: “Eu não sabia de nada”, ou então: “Confiei no que meus assessores disseram”.
Não sei que diabo existe na 51 presidencial, mas ela está turbinada e não é a mesma que os bebuns comuns consomem nas biroscas Brasil afora.
Mas a platéia lulista está achando o máximo o discurso irresponsável dele, até porque falar mal dos EUA é uma espécie de esporte entre os vermelhos... Não adianta estas afirmações de que a crise não atingirá o Brasil... Isso é inevitável, e só resta agora saber qual será o tamanho da pancada... O setor exportador, inebriado pela estupidez, esfregava as mãos ao ver a subida do dólar, contando com uma entrada maior de Reais nos contratos de exportação... Só se esqueceram de um detalhe: Vão exportar para quem?... Foi moleza pegar carona no êxito do Real e governar com uma economia mundial em franca expansão... Agora a coisa mudou de figura, e vão ter que trabalhar, coisa que não sei bem se lembram como é.
A crise é grave sim, e é bom parar de dar ouvido a esse maluco.
Ou então reserve um trocadinho para a bala.

terça-feira, 7 de outubro de 2008

Guapimirim:.. Cronologia de uma fraude eleitoral!


Sexta-feira, 3 de Outubro de 2008:

Anunciado pelo TSE à impugnação do candidato a prefeito Nelson do Posto.
A notícia se espalha pela cidade feito rastilho de pólvora.
No mesmo dia, é criada uma nova chapa, desta vez com o vice de Nelson do Posto, Júnior do Posto, sobrinho do candidato impugnado, figurando como candidato a prefeito.

Sábado, 4 de Outubro de 2008, véspera da eleição:

Carros de som inundam as ruas da cidade bradando o seguinte slogan: “Não acredite em mentiras... Vote em Nelson do Posto”... Em nenhum momento a população é informada sobre a mudança feita na chapa... Somente os cabos eleitorais mais próximos ao núcleo do poder sabiam, de fato, da mudança.
Preocupados, porém esperançosos, o grupo político do prefeito impugnado põe na rua uma carreata que reúne cerca de 4 mil participantes... A apreensão estava estampada nos rostos, mas tudo seguia em clima de otimismo contido.

Domingo, 5 de Outubro de 2008, o “grande momento da cidadania”:

Num universo de 35 mil eleitores, vários são induzidos ao erro... Ao digitar o número do candidato “Nelson do Posto”, 15, sua foto é visualizada, e o voto confirmado pelo eleitor.
Quando o resultado é divulgado, fica-se sabendo que o eleito, é seu Vice e sobrinho, “Júnior”.
E mais: todos os votos do principal opositor de Nelson, Aílton Vivas, não são contabilizados por se encontrar à candidatura dele, sub-júdice... Era o que faltava para acender o estopin da paixão.
Centenas de pessoas se reúnem na frente do cartório eleitoral da cidade, após a divulgação dos resultados, com ameaças de invasão e depredação... Alvo errado, se é que existe alvo... As pessoas que trabalham lá são às que menos tem relação com os resultados, aliás, não tem nenhuma... O mesmo não se pode dizer da Juíza eleitoral da Comarca, que conforme publiquei, pende de maneira suspeitíssima, porém legal, para o grupo político que domina a cidade... A digníssima magistrada, Myrian Therezinha, acaba de conquistar mais quatro anos de braços dados com o poder local.
Existem detalhes mais escabrosos, mas como não posso assegurar sua veracidade, não penso em divulgar, sob pena de colocar em dúvida à credibilidade deste blog.
Uma coisa vos afirmo:
Escolhi esta cidade para viver por inúmeras razões... Entre elas, ser um paraíso ecológico... Politicamente, a cidade é tão vergonhosa como qualquer curral eleitoral que insistimos em atribuir aos nordestinos.
Deveríamos ter coerência moral ao criticar outras regiões.
À politização do povo Carioca tem ética: Qualquer uma entre R$ 30,00 e R$ 100,00.
Quer pagar quanto?

sábado, 4 de outubro de 2008

Guapimirim em chamas: Nelson do Posto é impugnado!


O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) manteve ontem o indeferimento da candidatura do prefeito de Guapimirim, Nelson do Posto (PMDB), à reeleição. A Corte rejeitou recurso do prefeito contra decisão do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) que impugnou sua candidatura por ele integrar lista do Tribunal de Contas da União (TCU) de políticos condenados por má gestão do dinheiro público.

A decisão foi do ministro Eros Grau, relator do caso no TSE. Além do prefeito, também foi indeferida a candidatura do vice da chapa: Júnior do Posto (PTC), sobrinho de Nelson.
A candidatura de Nelson do Posto à reeleição havia sido deferida pela juíza Myriam Therezinha Cury, da 149ª Zona Eleitoral, mas o Ministério Público Eleitoral (MPE) recorreu ao TRE contra a decisão. O tribunal então acatou o recurso e indeferiu a candidatura.

Ontem à noite, policiais do 34º BPM (Magé) reforçaram a segurança do cartório eleitoral da 140ª Zona Eleitoral (Guapimirim). Manifestantes pró e contra o prefeito forma até o local e houve ameaça de invasão do prédio.
Fonte: O Dia.

quinta-feira, 2 de outubro de 2008

A revolução silenciosa...


Recebi de meu amigo Percy Vieira o texto que segue, de Diego Casagrande, e o reproduzo na íntegra, me desculpando pelo tamanho, mas de relevância que é justificativa suficiente:
Não espere tanques, fuzis e estado de sítio.
Não espere campos de concentração e emissoras de rádio, tevê e as redações ocupadas pelos agentes da supressão das liberdades.
Não espere tanques nas ruas.
Não espere os oficiais do regime com uniformes verdes e estrelinha vermelha circulando nas cidades.
Não espere nada diferente do que estamos vendo há pelo menos duas décadas.
Não espere porque você não vai encontrar, ao menos por enquanto.
A revolução comunista no Brasil já começou e não tem a face historicamente conhecida.
Ela é bem diferente.
É hoje silenciosa e sorrateira.
Sua meta é o subdesenvolvimento.
Sua meta é que não possamos decolar.
Age na degradação dos princípios e do pensar das pessoas.
Corrói a valoração do trabalho honesto, da pesquisa e da ordem.
Para seus líderes, sociedade onde é preciso ser ordeiro não é democrática.
Para seus pregadores, país onde há mais deveres do que direitos não serve.
Tem que ser o contrário para que mais parasitas se nutram do Estado e de suas indenizações.
Essa revolução impede as pessoas de sonharem com uma vida econômica melhor, porque quem cresce na vida, quem começa a ter mais, deixa de ser "humano" e passa a ser um capitalista safado e explorador dos outros.
Ter é incompatível com o ser. Esse é o princípio que estamos presenciando.
Todos têm de acreditar nesses valores deturpados que só impedem a evolução das pessoas e, por conseqüência, o despertar de um país e de um povo que deveriam estar lá na frente.
Vai ser triste ver o uso político-ideológico que as escolas brasileiras farão das disciplinas de filosofia e sociologia, tornadas obrigatórias no ensino médio a partir do ano que vem.
A decisão é do ministério da Educação, onde não são poucos os adoradores do regime cubano mantidos com dinheiro público. Quando a norma entrar em vigor, será uma farra para aqueles que sonham com uma sociedade cada vez menos livre, mais estatizada e onde o moderno é circular com a camiseta de um idiota totalitário como Che Guevara. A constatação que faço é simples.
Hoje, mesmo sem essa malfadada determinação governamental - que é óbvio faz parte da revolução silenciosa - as crianças brasileiras já sofrem um bombardeio ideológico diário.
Elas vêm sendo submetidas ao lixo pedagógico do socialismo, do mofo, do atraso, que vê no coletivismo econômico a saída para todos os males.
E pouco importa que este modelo não tenha produzido uma única nação onde suas práticas melhoraram a vida da maioria da população. Ao contrário, ele sempre descamba para o genocídio ou a pobreza absoluta para quase todos.
No Brasil, são as escolas os principais agentes do serviço sujo.
São elas as donas da lavagem cerebral da revolução silenciosa.
Há exceções, é claro, que se perdem na bruma dos simpatizantes vermelhos.
Perdi a conta de quantas vezes já denunciei nos espaços que ocupo no rádio, tevê e internet, escolas caras de Porto Alegre recebendo “freis betos” e mantendo professores que ensinam às cabecinhas em formação que o bandido não é o que invade e destrói a produção, e sim o invadido, um facínora que "tem" e é "dono" de algo, enquanto outros nada têm. Como se houvesse relação de causa e efeito.
Recebi de Bagé, interior do Rio Grande do Sul, o livro "Geografia", obrigatório na 5ª série do primeiro grau no Colégio Salesiano Nossa Senhora Auxiliadora. Os autores são Antonio Aparecido e Hugo Montenegro.
O Auxiliadora é uma escola tradicional na região, que fica em frente à praça central da cidade e onde muita gente boa se esforça para manter os filhos buscando uma educação de qualidade.
Através desse livro, as crianças aprendem que propriedades grandes são de "alguns" e que assentamentos e pequenas propriedades familiares "são de todos".
Aprendem que "trabalhar livre, sem patrão" é "benefício de toda a comunidade".
Aprendem que assentamentos são "uma forma de organização mais solidária... do que nas grandes propriedades rurais". E também aprendem a ler um enorme texto de... adivinhe quem? João Pedro Stédile, o líder do criminoso MST que há pouco tempo sugeriu o assassinato dos produtores rurais brasileiros. O mesmo líder que incentiva a invasão, destruição e o roubo do que aos outros pertence. Ele relata como funciona o movimento e se embriaga em palavras ao descrever que "meninos e meninas, a nova geração de assentados... formam filas na frente da escola, cantam o hino do Movimento dos Sem-Terra e assistem ao hasteamento da bandeira do MST". Essa é A revolução silenciosa a que me refiro que faz um texto lixo dentro de um livro lixo parar na mesa de crianças, cujas consciências em formação deveriam ser respeitadas. Nada mais totalitário. Nada mais antidemocrático. Serviria direitinho em uma escola de inspiração nazi-fascista. Tristes são as conseqüências. Um grupo de pais está indignado com a escola, mas não consegue se organizar minimamente para protestar e tirar essa porcaria travestida de livro didático do currículo do colégio. Alguns até reclamam, mas muitos que se tocaram da podridão travestida de ensino têm vergonha de serem vistos como diferentes. Eles não são minoria, eles não estão errados, mas sentem-se assim. A revolução silenciosa avança e o guarda de quarteirão é o medo do que possam pensar deles. O antídoto para a revolução silenciosa? Botar a boca no trombone, alertar, denunciar, fazer pensar, incomodar os agentes da Stazi silenciosa.
Não há silêncio que resista ao barulho.