Translate...

Sobre você...

Sign by Danasoft - Get Your Free Sign

Chute o Lula

terça-feira, 2 de setembro de 2008

Seguradoras estão rindo à toa...

Sempre foi muito complicado fazer um seguro de automóveis que cubra e cumpra realmente o que está estabelecido em contrato, e agora o STJ (Superior Tribunal de Justiça) resolveu dar uma “mãozinha” às coitadas das seguradoras. Segundo decisão do STJ, as empresas seguradoras não serão obrigadas a pagar aos beneficiários (esposa, filhos, etc.), nenhuma indenização caso o motorista venha falecer por conta de acidente e que se comprove o seu estado de embriagues... Tá bom, tá certo... Mas e o dinheiro que foi pago pelo segurado até o momento do sinistro?... Ele será devolvido?... Vão punir a família do segurado, como se não os bastasse à dor da perda de um ente querido?... Beber e dirigir já teve sua proibição, e mesmo assim parece que agora querem punir os familiares dos mortos... É como se afirmassem que toda família é responsável pela tragédia e, portanto, também devam ser punidos... Na hora de venderem a apólice de seguro aplicaram ao segurado o teste do bafômetro?... Quando o segurado foi pagar sua parcela do seguro, teve de apresentar alguma prova que não estava embriagado?... Coisas da justiça, que mesmo neste caso específico dizendo respeito apenas a uma ação em particular, cria jurisprudência e gera mais uma sensação de insegurança jurídica.
No Brasil é assim... Todo mundo sabe como algo começa, mas nunca como termina... Tudo muda o tempo todo, e de modo atabalhoado.

5 comentários:

Karine Leão disse...

Sérgio,

Realmente no Brasil tudo está fora de lugar!
Concordo com vc, em grau, numero e gênero.

Outra coisa que está errado no Brasil. A escola não pode segurar o histórico de um aluno inadimplente, mas esse mesmo pode procurar o Procon e haver o histórico sem pagar nada.

Linkei vc!

Abraços!

ANDERSON EDUARDO disse...

Pois é Sérgio, tudo bem que beber e dirijir é perogoso, mas acho que todo caso é um caso diferente. Vamos supor, o cara toma apenas um copo de cerveja, pela nova lei ele ja esta errado. Mas, e se caso ele se envolver em um acidente e ele nao foi o culpado? ... é preciso cuidado com esta onda das seguradoras

Quase Trinta disse...

Oi Anderson...
Realmente já descobri muitas coisas sobre mim, mas a vida está em eterna mudança e o q sei ainda é muito pouco....
Quanto ao seu post pensei q só eu estava achando essa decisão absurda, apesar de não beber nenhum tipo de bebida alcoolica acho um absurdo o segurado perder o direito ou seus familiares caso ele esteja embriagado, como vc mesmo disso ao pagar todo mês seu seguro, esse detalhe não é levado em conta

vimaguin disse...

...é assim, óó minino: quem manda o segurado ter carro, quem manda ele beber, quem manda ele ter parentes, quem manda os parentes conviver com quem tem carro e portanto precisar de seguradora, quem manda ele se acidentar, ou até morrer???...ahhh, já sei, meu lindo, eu acho que isso tudo é culpa do Gardenal que eu tomo e portanto não consigo entender essa loucura aqui...mãnhêêêê!!!!!...smackssssssssssss procê!

Karine Leão disse...

Sérgio,

“Porque um jardim jamais está completo, até nos dias mais cinzentos, uma flor desponta para nos lembrar que uma nova estação repleta de cor e de aromas doces se avizinha. Mesmo quando o frio e a penumbra parecem ter vindo para ficar, o nosso jardim nunca dorme... e em breve, explodirá numa paleta de cores que quase nos faz desejar que permaneça assim para sempre, florido e exuberante. Talvez a maior lição que a Natureza nos ensina, é que a transformação é a única coisa que permanece.”

Jamais quero meu jardim completo, desejo sempre e cada vez mais a doce e mágica surpresa da transformação constante.

Obrigada por florir meu Ponto e fazer toda a diferença.

Meu Beijo Karinhoso,